quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Bissexualidade e preconceitos - Parte II

Voltando de viagem do meu reduto budista, lá fiquei sem internet, cervejinhas, sexo e rock in roll. Mas pude muito pensar na morte da bezerra e também na segunda parte deste post polêmico sobre Bissexualidade e preconceitos.

Vamos lá! Tem coragem?

painel_ursinhos_carinhosos001
[Deixa de ser Coração Gelado! Vêm que aqui tem calor humano!]

Quem não é do meio, acha que a militância LGBT é uma grande harmonia, que por você ter uma orientação sexual ou de gênero diferente vai te fazer compreender magicamente outras pessoas que estejam na mesma situação, mas não é bem assim, as vezes o tiro vem de fogo amigo, e daí que machuca mais, muito mais.

Nunca entendi o por quê do “B” de LGBT estar lá, geralmente Bissexuais são mal vistos por homos, trans e afins, as pessoas acham que nós estamos perdidas entre a hétero e a homoafetividade e que uma hora vamos parar de nos divertir ou decidir de uma vez por todas nosso “lado”, como já foi discutido no post anterior.

Mas o que tem de diferente no preconceito vindo da parte de pessoas homoafetivas Niemi? Fala logo de uma vez! Bom vamos lá:

a-mulher-comercial-est-aacute-chamando-thumb7751379
[Preguiça de retirar a marca d’agua do patrocionador"]

Preconceito – É só uma fase! (vêm pro nosso lado vêm)

Dizer que uma Bi está apenas passando por uma fase é uma forma de invalidar sua orientação, isso não legitima o que a pessoa é, pelo contrário, coloca em dúvida o que a pessoa sente fazendo com que suas ações sejam sempre questionadas ao invés de aceitas. 

Há um agravante que percebo por parte das lésbicas, muitas se propoem a “ajudar” a Bi que está “apenas passando por uma fase de transição” a se reconhecer lésbica de fato.

puliça
[Oi!? Espera ai!]

Se você não gostava dos seus parentes/amigos/que seja te dizendo que você era isso ou aquilo, por que diabos você tomou a liberdade de “orientar” a “escolha” de uma pessoa? Como é possível saber mais de alguém do que ela mesma? E se ela for realmente Bi? Ou nem Bi ou homo, apenas uma hétero curiosa ou confusa?

Parece piada, mas vejo muitas lésbicas querendo promover uma lavagem cerebral nas Bi’s.

É o famoso “recrutamento”, não quero parecer eu preconceituosa, não são todas que fazem isso, mas é uma prática mais comum do que se imagina, lá vai a sapa ajudar a Bi porém quando esta decide que não é ela uma pessoa homoafetiva ou que gosta de ambos os sexos (sim, ela se reconhece como Bi de fato), a sapa fica com raivinha e começa a soltar vários impropérios e ainda espalha fofocas diversas, como a clássica “fui usada”.

Mas quem estava usando quem até certo tempo atrás?

Não gosto dessa “conversão”, Bi’s sofrem muito com isso por que as vezes estamos nos direcionando para nossa Bissexualidade e lá vêm alguém achar que não é bem assim, que pode nos fazer deparar com a “verdade” e isso sim pode induzir a equívocos, vamos deixar as pessoas se resolverem sexualmente sem pressão? Agradecida.

Se a pessoa decidiu que o que ela quer pra vida dela não é o que você esperava, vamos deixar de raivinha e torcer pela felicidade alheia? Brigadinha.

Ajudar de fato não é querer fazer pelo outro, se quer mesmo apenas ajudar (o nome do que fazem é convencer), dê conselhos, diga sobre suas experiências mas deixe a DECISÃO para quem está te procurando apenas como uma conselheira.

a5ba4_menina_rezando
[Noffa D-Eos, aquela sapa foi tão legal comigo! Me aconselhou e deixou eu e minha bissexualidade se resolverem numa boa, sem pressão! Ela sim é amiga]

Preconceito – “Zona de conforto”
Soldadinho Verde
[Bissexual se locomovendo para Zona de Conforto à Zero horas Sr!]

Sério, toda essa linguagem bélica me dá preguiça eterna.(Olha eu sendo hipócrita já que declarei no primeiro post que esses textos seriam de tom de “guerra”).

Se eu ganhasse um Kinder Ovo cada vez que eu ouvisse isso eu já teria falido a Ferrero Rocher faz tempo!

A Zona de Conforto é divida em duas partes:

Se descobriu homo mas não quer assumir – Bi é fase né? De descoberta, de aceitação…nunca uma orientação de fato, então na verdade a pessoa sabe que é lésbica (God! Só pode ser isso!Prepotência?Que nada) mas ela está com medo de encarar a heterolândia uma vez que escolheu uma passagem só de ida para fora das terras binárias.

muralha-da-china
[ A Heterolândia te cerca mas te protege né bebê? ]

Então numa atitude diplomática (e covarde – toda Bi é covarde) para não enfrentar pessoas próximas e distantes ela se declara Bi para meio que dizer “olha peoples eu estou numa fase de transição, logo logo me transformarei numa linda sapa não me julguem ok?”.

Realmente? Há pessoas que antes de se assumirem homo elas “ensaiam” uma saída do armário menos pé na porta/soco na cara e vão aos poucos se “revelando” ( o termo infeliz…) e declarar-se Bi pode ser uma forma de se proteger sim, isso é perfeitamente aceitável né gente? Há pessoas que não gostam de enfrentamentos, para elas essa medida irá ajudá-las então por que não fazeriam isso?

Mas dizer QUE TODO MUNDO FAZ ISSO dai é de lascar o pau de quina!

Generalizar é burrice, ao afirmar que toda pessoa que se declara Bi está ensaiando sair do armário e declarar-se homo é invalidar uma multidão que de fato é Bi, se assume muito bem como tal e não vê problemas no que os outros vão achar, é querer negar outra possibilidade que não te agrada ou incomoda (ou ambos…) e isso é bem parecido com aquele pessoal Hétero do mal que te diz que você não é homo, está apenas pertubada pelo capeta saca? O Princípio é o mesmo, te invalidam com uma desculpa esfarrapada e depois adcionam um pingo de julgamento disfarçado de ajuda ou compreensão.

pastor2
[ Você não é uma Bissexual, está apenas escondendo sua sapatice, mas isso vai passar! Por bem ou por mal….heheheh  *Te frita com os olhos de Raio Laser*]

Se descobriu homo mas não consegue encarar o mundo lá fora – Dizer para uma Bi que por estar relacionando-se com um homem ela está na verdade buscando “conforto” na sua relação hétero é dizer indiretamente que uma relação homofetiva é perigosa, agora me pergunto se fosse verdadeiramente assim quem teria coragem de bancar uma relação homoafetiva? As lésbicas sabem que no fundo amar outra mulher é tão bom e genuíno quanto amar um homem certo?

(Digo Bom no sentido de ser bom para o outro, no exercício de ter empatia, claro que uma lésbica não vai dizer que namorar um homem é tão bom quanto namorar uma mulher, ou se não ela seria – Pausa Dramática
 
G-zus! Uma mulher bissexual !!!).
 
the-big-bang-theory-sheldon_412x232
[de cara com essa conclusão!]

O que quero dizer aqui é que lésbicas sabem no fundo no fundo, que não faz sentido você afirmar a busca por conforto, é um princípio que para ser válido ela teria que assumir que há outras possibilidades que não são tão fáceis.

Ah mas Niemi, que mentira tem nisso? Ser lésbica não é fácil!

Eu sei, mas uma relação homoafetiva não é mais complicada do que uma hétero por princiípio mas sim por que as pessoas estão dispostas a tornar isso mais difícil por causa de seus preconceitos. E você com os seus não está ajudando em nada a mudar isso.
 
100822Dadodolabella
Preconceito – Traiu o movimento velho!

Acho que o maior medo de uma lésbica é namorar com uma Bi e ser trocada por um homem, elas acham que você está traindo o movimento LGBT (na verdade você está traindo a parte homo da coisa, esquecem do “B”). Justificam que você como Bi não pode se envolver num relacionamento hétero, pois assim estará assumindo uma posição política de estar invalidando os relacionamentos homoafetivos, uma lésbica alega que quando você faz essa “troca” você como Bi está dizendo que ser hétero é melhor.

Ou está “dando um tapa na cara de todas as lésbicas”.

Particularmente? A traição sempre vêm acompanhada da mentira, o que acho condenável é você enganar a pessoa amada, mas isso acontece em todos os tipos de relacionamentos, isso não é exclusividade de uma Bi que namora uma lésbica e a “troca” por um homem.

Concordo que a mentira é F*oda, mas descordo totalmente da parte “milítica” da coisa, AMIGA, PRESTA ATENÇÃO, militar por sua causa é mais do que correto, mas isso fazemos em âmbito SOCIAL e COLETIVO, não acho nada saudável misturar as coisas e querer FAZER DO SEU RELACIONAMENTO UMA MILITÂNCIA À PARTE. Fica a dica.

Pessoas são pessoas, e as vezes elas só querem se comportar como seres humanos, a menina Bi te traiu com um cara? Ok, isso foi errado da parte dela, mas não transforme isso numa posição política, aposto que nem passou pela cabeça dela: “Vou mostrar pra minha namorada lésbica que homem é melhor” ou então mais absurdo ainda: “Vou mostrar pra minha namorada lésbica que ser hétero no fim das contas é a melhor ‘opção’ “.

Esse negócio de traiu o movimento, de caças às bruxas é picuinha de patrulha, esse pensamento repressor não combina em nada com quem deveria lutar pelo direito de escolher. Ou tu acha que para apontar o dedo na cara da pessoa é necessário ser partidário?
 
Em resumo, ser Bi é sempre ter que ouvir cobranças e explicações dos dois lados, as pessoas de orientações “unilaterais” não entendem que um Bi pode querer os dois e que essa decisão é consciente, legítima.

8 comentários:

Bruno S disse...

Pela sua descrição, ser bi é ir ao maracanã, em dia de Vasco e Flamengo, com camisa do fluminense. Toma porrada de todo lado.

Niemi Hyyrynen disse...

Bruno

Não sei se deixei essa impressão sem querer, mas ser Bi não é necessariamente querer comprar briga né?rs

Uma coisa é vc provocar a situação outra é te botarem nela...

Usando sua analogia o Bi seria um cara que tentasse usar aquelas camisetas dividida em duas, com um lado o desenho do Vasco e do outro do Flamengo, e no fim ia levar porrada dos dois.

:)

Bruno S disse...

Sua analogia ficou melhor.

Não tinha pensado na parte do querer comprar briga, mas na parte do ser "mal visto" pelos dois lados.

Fico com a impressão de que a dificuldade da sociedade em encaixá-los em padrões os torna um "perigoso grupo subversivo".

Lembrei de uma defesa feita para a bissexualidade que escutei há muito tempo atrás. Com tanta dificuldade em achar a cara-metade, seria pouco prático descartar metade da humanidade logo de cara.

Dayane Ok. disse...

Primeiro, quero pedir desculpas, pelo meu comentário anterior. O li e acho que deu a entender que achava lésbicas ou bis nojentas pelo fato delas serem, mas nao, quis dizer que caho mulher nojenta, entende? Estou me atrapalhando mais?rs. Digo, PRA MIM.Tipo...eca!entende?Não é com a opção, mas não quero uma mulher se esncostando em mim não!rs.
Bem Niemi, eu não sei bem o que comentar nesse post pq nunca passei pela situação. Mas sei que a comunidade LGBT (era tao mais fácil GLS =/) tbm é cheia de preconceitos entre si. Trabalhei um ano com uma menina lésbica, se sempre ouvi comentários vindo dela "Eh nada, aquela ali é sapa!Tá qurendo disfarçar"Pegou mulher e agora ta com macho!". Eu não sei...na minha mente é muito mais fácil entender um homossexual do que um bi, é meio estranho pensar que vc pode gostar dos dois sexos. Não estou dizendo q não seja possível, mas que isso pra mim é confuso, rs.
E não sei se vc concordará comigo, mas hj em dia é difícil saber se a pessoa é bi de verdade, já que está uma grande moda (ateh mesmo uma pressão, dependendo da turma que vc faz parte) ficar com os dois sexos para parecer "moderno!".
Uma vez vi uma pessoa dizendo q ser bissexual era uma relidade para tds, pois naop eramos mais instintivos e ser bissexual era agir com razao. Bem, eu não concordo. Não escolhi me apaixonar só por homens ,não foi algo racional (ateh pq ngm escolhe se apaixonar por pessoas "erradas"). Nunca foi uma questão de escolha ser hetressoxual, mas uma questão sexual, afetiva, além da minha vontade, assim cm deve ser pra vcs, para os gays. Entao acho complicado alguem afirmar "todos somos bissexuais" . Se iso fosse verdade, muitos gays que sofrem pelo preconceito escolheriam parceiros heteros, mas nao eh simples assim.

Valkoinen Kissa disse...

Niemi! Desculpa por não ter respondido o e-mail. -.-'

Achei muito legal você ter exposto tudo isso. Eu realmente não imaginava que era assim! Achava que todas as cores do arco-íris se davam bem entre si e viviam felizes e sem grilos.
Parabéns pelo texto!

Carol disse...

Me identifiquei horrores. É bem por aí mesmo.

Dayane, vc acha estranho pq a sociedade ensina uma visão binária das coisas, quando existe todo um espectro de variação nas sexualidades.

Aline disse...

adoreii o post, realmente é pauleira de td q é lado, to com um pé fora do armário mas já deu pra ter uma ideia do q vem por aí *;

Aline disse...

adoreii o post, realmente é pauleira de td q é lado, to com um pé fora do armário mas já deu pra ter uma ideia do q vem por aí *;